Bactérias Gram-positivas e Gram-negativas

Hans Christian Gram, um bacteriologista dinamarquês, estudou e definiu a técnica para corar bactérias, a coloração Gram, em 1884. Nesta ocasião, experimentalmente, corou lâminas com esfregaços (uma espécie de “raspa”, grosseiramente falando, de um determinado lugar do corpo ou de uma cultura que se queira fazer a pesquisa) com violeta de genciana e percebeu que se as bactérias existentes nestes esfregaços uma vez coradas não desbotavam com álcool, se previamente fossem tratadas com iodo.

Avançando e aprimorando o método, adicionou ainda outros corantes denominados “contra-corantes”, tais como safranina e fucsina básica. As bactérias contidas no esfregaço podem ser classificadas como Gram-positivas (aproximadamente de cor roxa) ou Gram-negativas (aproximadamente de cor vermelha), isto dependerá da parede celular da bactéria. Se for estruturalmente simples a coloração será positiva, se for estruturalmente complexa a coloração será então negativa.

Existe um protocolo que se segue para fazer a coração de um esfregaço, com etapas bem definidas e com misturas de substâncias (solução de cristal violeta; solução de lugol (iodeto de potássio - KI); solução de safranina e solução de álcool) que resultarão na coloração positiva ou negativa, como nas figuras abaixo:

Bactérias gram-positivas e gram-negativas. Fotos: Y_tambe / Wikimedia Commons ([1][2]) [CC-BY-SA 3.0]

Esta coloração permite distinguir os mais variados tipos de bactérias e que tipo de parede celular elas tem (se mais simples ou mais complexas, com mais ou menos peptideoglicanos – principal componente da parede celular bacteriana). As bactérias que descorarem quando submetidas à um solvente orgânico são Gram-negativas, e as que permanecerem coradas mesmo quando em contato com o solvente são denominadas Gram-positivas.

Estas bactérias de diferentes colorações tem também graus diferentes de virulência. As Gram-negativas, por exemplo, são constituídas por uma endotoxina denominada LPS (lipopolissacarídeo), que é causadora da patogenicidade. Já as Gram-positivas possuem a exotoxina rica em ácido lipoprotéico que confere aderência à bactéria.

Bactérias Gram-negativas

As proteobactérias compôem a maior parte das bactérias gram negativas. As principais são:

  • Escherichia coli
  • Salmonella
  • Shigella

Enterobacteriaceae:

  • Pseudomonas
  • Moraxella
  • Helicobacter
  • Stenotrophomonas
  • Bdellovibrio
  • Legionella

Entre outras, como Chlorobi, Chloroflexi, Cianobactérias, Espiroquetas, etc.

Bactérias Gram-positivas

  • Filo Firmicutes (Bacilos, Estreptococos, Estafilococos, Enterococos, Actinobacteria, Listeria, etc).

Bibliografia: http://www.ufrgs.br/agrofitossan/fit35/carolineGram.pdf http://www.medicinageriatrica.com.br/2008/07/06/saude-geriatria/bacterias-gram-positivas-e-gram-negativas/ http://www.forp.usp.br/restauradora/calcio/citolog.htm http://pt.wikipedia.org/wiki/Técnica_de_Gram

More Questions From This User See All

Smile Life

Show life that you have a thousand reasons to smile

Get in touch

© Copyright 2021 ELIB.TIPS - All rights reserved.